Buscar

Eu salva de mim.

Quando decido me abraçar, paro o tempo por alguns instantes.

Esqueço da dor que sinto, da sombra que vejo.

Iluminada, me abasteço.

Quando decido sorrir pra mim, enxergo o meu espaço sagrado e a vida vale a pena.

Se transbordo lágrimas, meu barco não deriva.

Conheço tempestades. Do temporal, me protejo.

E acredite, até sou capaz de remar, resgatar, re-amar.

Quando decido me respeitar, agrego paz à minha solidão.

Para mim, negar e permitir têm a mesma conjugação.

Hoje, com meu carinho, sei que faço caminho.

Mergulho em cada amanhecer para desafiar o dia.

Entrego-me ao encanto dos meus próprios milagres.

O outro sou eu.

Eu salva de mim.

Eu, a que ainda respira paixão.

Que risca, rabisca e vira canção.

Posts recentes

Ver tudo

Certezas incertas

Troquei algumas certezas de lugar. Hoje, já não me importo que você me olhe e não me entenda. Sou um resultado indefinido. Sujeito, por vezes, indeterminado. Uma equação irracional. Não sou chegada a

Mantra da mulher que habita em mim

Eu sou linda. Cheirosa. Gostosa. Charmosa. Tenho um bom papo, cultura, inteligência. Sou divertida, independente, engraçada, descolada, bem humorada. Aprecio um bom vinho, penso no planeta, gosto de m

Cura

Escolho não gastar minha energia no que não faz mais sentido. Se não ressoa, não me realiza. O mundo me espera para dar voltas com ele. Tenho andado com o coração nas nuvens … É um convite sem desculp

Copyright Andrea Brêtas Fotografia 2017. Professor Stroele 428 bloco IV - Salas: 310/311 - Quarteirão Brasileiro | Petrópolis-RJ Tel.: 24999643966